Archive for the Empresas Category

Procuro emprego !!!

Posted in Construção, Emprego, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil on Julho 9, 2008 by Nelson Costa

Aproximando-se a fase final da minha Licenciatura, encontro-me já na disponibilidade de embarcar num novo desafio: o mundo do trabalho.

Este post serve assim para publicitar o meu desejo em ingressar numa empresa para realizar estágio.

Apresento algumas características para informar melhor os interessados:

Licenciatura: Engenharia Civil (óbvio)

Opções frequentadas: Complementos de Estruturas; Estruturas Especiais (metálicas); Conservação e Reabilitação das Construções

Preferência: Empresas da zona de Braga

Para mais informações coloquem um comentário a manifestar o interesse, com o e-mail respectivo, e enviarei logo que me seja possível o meu Curriculum Vitae.

Anúncios

Soluções e Sistemas construtivos

Posted in Climatização, Conservação e Reabilitação, Construção, Construção e Materiais, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Geotecnia, Hidráulica, Links, Materiais de construção on Julho 2, 2008 by Nelson Costa

Apresentam-se aqui algumas empresas que fornecem nas suas páginas diversas soluções e sistemas construtivos nas áreas de impermeabilização, isolamento (térmico e acústico), drenagem, geotêxteis, etc.

Onduline roof systems (detalhes construtivos, pormenores cad, caderno de encargos)

Danosa (soluções de impermeabilização, soluções de acústica, soluções de obra civil)

Imperalum (Impermeabilização, isolamento térmico, drenagem, acústica, geotêxteis, projectos ambientais, projectos especiais)

Impermaster (técnicas de aplicação de impermeabilização)

Maxit (soluções construtivas: renoline, construline, geotecnia)

Weber (soluções para problemas)

Knauf (soluções de construção, catálogo de sistemas)

Dow (detalhes construtivos cad, documentação, artigos, …)

Pré-esforço orgânico

Posted in Construção, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Materiais de construção, Tecnologia on Outubro 17, 2007 by Nelson Costa

O projecto do Sistema de pré-esforço orgânico OPS (Organic Prestressing System) é mais um exemplo de como a cooperação científica e tecnológica entre universidades e empresas pode oferecer bons resultados.

O OPS é uma solução tecnológica que permite compensar as forças a que a estrutura metálica das pontes está sujeita, baseando-se no funcionamento do músculo humano, e foi desenvolvido por investigadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

De entre as principais vantagens destacam-se a redução de custos, o aumento de segurança e a redução de deformações.

Base científica:

O Sistema OPS tem por conceito base a introdução de um conjunto de acções auto-equilibradas na estrutura sobre a qual se está a trabalhar. Estas acções, criteriosamente escolhidas, irão contrariar, na medida do possível, aquelas a que a estrutura estará submetida.
Os responsáveis do projecto, uma equipa de engenheiros e investigadores, coordenada pelo professor Pedro Pacheco, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, referem que as acções auto-equilibradas não variam segundo o tipo e intensidade das solicitações a que a estrutura vai estando submetida, sucedendo-se apenas em função do traçado dos cabos e das forças de pré-esforço instaladas.
 

Tendo como base científica a Biomimética, uma área da ciência que tem por objectivo o estudo das estruturas biológicas e das suas funções, procurando aprender com a Natureza e utilizar esse conhecimento em diferentes domínios da ciência, o sistema OPS surgiu na sequência de um trabalho de investigação, iniciado pelo Professor Pedro Pacheco. Este projecto visava o estudo de aplicações de soluções de Bio-estruturas a estruturas de Engenharia Civil.
Centrado no estudo do músculo, o trabalho de investigação transportou os conceitos conhecidos da anatomia para as estruturas, surgindo o conceito de pré-esforço orgânico, em que, por exemplo, uma viga é dotada de um sistema de cabos que respondem a instruções de um autómato em função de deformações medidas por sensores, o que, permite a optimização do comportamento da viga e a diminuição considerável do seu peso.

A Tese de Doutoramento “Pré-esforço Orgânico – um exemplo de sistema efector” apresentada em 1998 pelo Professor Pedro Pacheco marcou o início de um reconhecido e inovador sistema de pré-esforço com comportamento inteligente, que conta já com diversos prémios:

2004 – FIVE – Fomento da Inovação e Valorização Empresarial (IAPMEI)
2001 – 2ª melhor Tese Internacional em Estruturas (FIB – Fédération International du Béton)
1998 – Nomeação Prémio Ferry Borges para Melhor artigo escrito em língua estrangeira

Funcionamento do sistema OPS:

O professor explica como funciona o músculo artificial. “É feito de autómato, de cabos, de um macaco hidráulico e de sensores. Funciona como o corpo humano. Os sensores sentem a deformação, como os nervos, informam o cérebro que é um autómato. O autómato dá instruções ao actuador, que é o músculo, estica os cabos, que são os tendões, e compensa a deformação”.

Vídeo de explicação simplificada do sistema pelo Professor Pedro Pacheco:

Projecto – piloto:

Um projecto piloto foi já desenvolvido para o teste do sistema OPS, aplicado à construção de uma ponte sobre o Rio Sousa (sub-lanço Lousada – IP4/A4), tendo sido um verdadeiro êxito. Um completo sucesso foi também a parceria entre a FEUP e a Mota-Engil que tem sido um dos trunfos deste projecto.

Vantagens: 

A esperança de Pedro Pacheco fundamenta-se nas vantagens do projecto piloto: “A estrutura é muito mais leve, mais segura, mais fácil de transportar e mais barata”. O responsável pelo projecto fala numa redução dos custos na ordem dos 20% e acrescenta que em estruturas maiores “o benefício cresce quase exponencialmente”. O sistema OPS (”Organic Prestressing System“) baseia-se na estrutura do sistema muscular humano.“Estamos a usar o sistema no processo construtivo. Existe uma estrutura que custa muito dinheiro. Através do OPS conseguimos optimizar essa estrutura usando um músculo artificial”, diz Pedro Pacheco. O OPS é único em Portugal e no mundo.

O Sistema OPS, que está patenteado a nível internacional, assegura assim a diminuição de custos de aquisição de equipamentos, nomeadamente de cimbres, tal como de custos operacionais, ao mesmo tempo que garante um melhor desempenho em termos funcionais, com a redução de flechas, e um aumento de segurança.

Desvantagens:

Pedro Pacheco afirma que as únicas desvantagens do sistema se prendem com “a resistência natural que as pessoas têm à inovação”.No entanto, o engenheiro acredita no sucesso do projecto e espera que “ajude a criar confiança” nas capacidades dos portugueses.

Referências:

BERD – Rationality in Bridge Engineering 

http://cedb.asce.org/cgi/WWWdisplay.cgi?0201133 

Fontes:

http://www.aecops.pt/

http://www.ordemengenheiros.pt/

http://smartengineering.blogspot.com/

http://engenhariacivil.wordpress.com/ 

Concreta 2007

Posted in Construção, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Eventos, Links, Noticias on Outubro 5, 2007 by Nelson Costa

É já este mês que se realiza aquela que é talvez a maior Feira Internacional dedicada à Construção e Obras Públicas do país, a Concreta 07, situada no maior parque de exposições do Norte, a Exponor. A feira encontra-se aberta de 23 a 26 de Outubro só para profissionais e a 27 para profissionais e público.

Para mais informações consulte o site http://www.concreta.exponor.pt/.

Novas tecnologias em gruas-torre giratórias da Potain

Posted in Construção, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Equipamentos, Tecnologia on Outubro 5, 2007 by Nelson Costa

A Potain, empresa pertencente ao Manitowoc Crane Group, lançou este ano as gruas torre MDT 218, MCT 88 e MR 295, esta última com lança de ângulo variável.

 

Gama MDT ideal para obras urbanas: 

A MDT 218 encontra-se no mercado em duas versões, uma de 8,0 t e outra de 10,0 t e dispõe da última geração de mecanismos controlados por intermédio de um conversor de frequência, para se conseguir giro, elevação e deslocações precisas, eficazes e uniformes.
As gruas torre da gama MDT são ideais para obras urbanas, pois possuem um mecanismo de elevação no braço e são de fácil e rápida montagem.

 

Gama MCT é muito versátil:

Procurando responder à procura crescente de gruas versáteis e tecnologicamente evoluídas, a Potain lançou a MCT 88 que, tal como a MDT 218 que é maior, apresenta um desenho de contra-lança aerodinâmico, que é a imagem de marca da Potain.
A MCT 88 proporciona uma capacidade máxima de 5,0 t e uma extensão de lança de 52 m, distância a que pode elevar 1,1 t. Esta grua inclui, de série, um comando à distância, uma cabina “Vision Cab”, um anemómetro e controlos de limitação de zona.
As gruas da gama MC são pequenas, de fácil montagem e transporte e ocupam muito pouco espaço em obra.

 

MR 295 com ângulo variável:

A grua-torre MR 295, de ângulo variável, surge mais evoluída tecnologicamente do que o modelo anterior lançado no ano passado.
O sucesso da MR 295 está a exceder todas as expectativas e a sua procura tem sido crescente.
Esta grua está disponível em três versões: H16 (com capacidade máxima para 16 t), H 20 (para 20 t) e H 25 (para 25 t). A extensão máxima da lança, em todas elas, é de 60 m, com uma carga máxima de 2,8 t, para a H16.
As três versões vêm equipadas de fábrica com o mecanismo de elevação 150 LCC, da Potain, e o mecanismo de giro RVF 182 Optima +.

 

Produtos da marca: http://www.potain.com/products/index.cfm

 

Fonte: http://www.aecops.pt/pls/daecops2/pnews.build_page?text=21630565