Archive for the Materiais de construção Category

Soluções e Sistemas construtivos

Posted in Climatização, Conservação e Reabilitação, Construção, Construção e Materiais, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Geotecnia, Hidráulica, Links, Materiais de construção on Julho 2, 2008 by Nelson Costa

Apresentam-se aqui algumas empresas que fornecem nas suas páginas diversas soluções e sistemas construtivos nas áreas de impermeabilização, isolamento (térmico e acústico), drenagem, geotêxteis, etc.

Onduline roof systems (detalhes construtivos, pormenores cad, caderno de encargos)

Danosa (soluções de impermeabilização, soluções de acústica, soluções de obra civil)

Imperalum (Impermeabilização, isolamento térmico, drenagem, acústica, geotêxteis, projectos ambientais, projectos especiais)

Impermaster (técnicas de aplicação de impermeabilização)

Maxit (soluções construtivas: renoline, construline, geotecnia)

Weber (soluções para problemas)

Knauf (soluções de construção, catálogo de sistemas)

Dow (detalhes construtivos cad, documentação, artigos, …)

Conjunto de textos de engenharia civil

Posted in Conservação e Reabilitação, Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Geotecnia, Hidráulica, Materiais de construção, Planeamento e Ordenamento on Fevereiro 20, 2008 by Nelson Costa

Apresenta-se aqui mais uma página onde podem descarregar textos de temas vários da área da engenharia civil, entre outras coisas. O seu autor é João Guerra, da Universidade Fernando Pessoa. Recomenda-se a sua visualização, pois certamente encontrará temas do seu agrado nesta interessante biblioteca pessoal.

Para aceder à página clique aqui e seguidamente no separador TEXTOS onde pode encontrar os seguintes temas:

– Materiais de Construção

– Construções

– Estruturas

– Betão Armado e Pré-esforçado

– Reabilitação

– Fundações e Contenção periférica

– Construção Metálica e Mista

– Gestão, Coordenação, Fiscalização e Imobiliário

Pré-esforço orgânico

Posted in Construção, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Materiais de construção, Tecnologia on Outubro 17, 2007 by Nelson Costa

O projecto do Sistema de pré-esforço orgânico OPS (Organic Prestressing System) é mais um exemplo de como a cooperação científica e tecnológica entre universidades e empresas pode oferecer bons resultados.

O OPS é uma solução tecnológica que permite compensar as forças a que a estrutura metálica das pontes está sujeita, baseando-se no funcionamento do músculo humano, e foi desenvolvido por investigadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

De entre as principais vantagens destacam-se a redução de custos, o aumento de segurança e a redução de deformações.

Base científica:

O Sistema OPS tem por conceito base a introdução de um conjunto de acções auto-equilibradas na estrutura sobre a qual se está a trabalhar. Estas acções, criteriosamente escolhidas, irão contrariar, na medida do possível, aquelas a que a estrutura estará submetida.
Os responsáveis do projecto, uma equipa de engenheiros e investigadores, coordenada pelo professor Pedro Pacheco, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, referem que as acções auto-equilibradas não variam segundo o tipo e intensidade das solicitações a que a estrutura vai estando submetida, sucedendo-se apenas em função do traçado dos cabos e das forças de pré-esforço instaladas.
 

Tendo como base científica a Biomimética, uma área da ciência que tem por objectivo o estudo das estruturas biológicas e das suas funções, procurando aprender com a Natureza e utilizar esse conhecimento em diferentes domínios da ciência, o sistema OPS surgiu na sequência de um trabalho de investigação, iniciado pelo Professor Pedro Pacheco. Este projecto visava o estudo de aplicações de soluções de Bio-estruturas a estruturas de Engenharia Civil.
Centrado no estudo do músculo, o trabalho de investigação transportou os conceitos conhecidos da anatomia para as estruturas, surgindo o conceito de pré-esforço orgânico, em que, por exemplo, uma viga é dotada de um sistema de cabos que respondem a instruções de um autómato em função de deformações medidas por sensores, o que, permite a optimização do comportamento da viga e a diminuição considerável do seu peso.

A Tese de Doutoramento “Pré-esforço Orgânico – um exemplo de sistema efector” apresentada em 1998 pelo Professor Pedro Pacheco marcou o início de um reconhecido e inovador sistema de pré-esforço com comportamento inteligente, que conta já com diversos prémios:

2004 – FIVE – Fomento da Inovação e Valorização Empresarial (IAPMEI)
2001 – 2ª melhor Tese Internacional em Estruturas (FIB – Fédération International du Béton)
1998 – Nomeação Prémio Ferry Borges para Melhor artigo escrito em língua estrangeira

Funcionamento do sistema OPS:

O professor explica como funciona o músculo artificial. “É feito de autómato, de cabos, de um macaco hidráulico e de sensores. Funciona como o corpo humano. Os sensores sentem a deformação, como os nervos, informam o cérebro que é um autómato. O autómato dá instruções ao actuador, que é o músculo, estica os cabos, que são os tendões, e compensa a deformação”.

Vídeo de explicação simplificada do sistema pelo Professor Pedro Pacheco:

Projecto – piloto:

Um projecto piloto foi já desenvolvido para o teste do sistema OPS, aplicado à construção de uma ponte sobre o Rio Sousa (sub-lanço Lousada – IP4/A4), tendo sido um verdadeiro êxito. Um completo sucesso foi também a parceria entre a FEUP e a Mota-Engil que tem sido um dos trunfos deste projecto.

Vantagens: 

A esperança de Pedro Pacheco fundamenta-se nas vantagens do projecto piloto: “A estrutura é muito mais leve, mais segura, mais fácil de transportar e mais barata”. O responsável pelo projecto fala numa redução dos custos na ordem dos 20% e acrescenta que em estruturas maiores “o benefício cresce quase exponencialmente”. O sistema OPS (”Organic Prestressing System“) baseia-se na estrutura do sistema muscular humano.“Estamos a usar o sistema no processo construtivo. Existe uma estrutura que custa muito dinheiro. Através do OPS conseguimos optimizar essa estrutura usando um músculo artificial”, diz Pedro Pacheco. O OPS é único em Portugal e no mundo.

O Sistema OPS, que está patenteado a nível internacional, assegura assim a diminuição de custos de aquisição de equipamentos, nomeadamente de cimbres, tal como de custos operacionais, ao mesmo tempo que garante um melhor desempenho em termos funcionais, com a redução de flechas, e um aumento de segurança.

Desvantagens:

Pedro Pacheco afirma que as únicas desvantagens do sistema se prendem com “a resistência natural que as pessoas têm à inovação”.No entanto, o engenheiro acredita no sucesso do projecto e espera que “ajude a criar confiança” nas capacidades dos portugueses.

Referências:

BERD – Rationality in Bridge Engineering 

http://cedb.asce.org/cgi/WWWdisplay.cgi?0201133 

Fontes:

http://www.aecops.pt/

http://www.ordemengenheiros.pt/

http://smartengineering.blogspot.com/

http://engenhariacivil.wordpress.com/ 

Importância da impermeabilização

Posted in Conservação e Reabilitação, Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Materiais de construção, Vídeos on Outubro 11, 2007 by Nelson Costa

Apresento aqui um vídeo do Instituto Brasileiro de Impermeabilização sobre a importância da aplicação de materiais impermeabilizantes nas construções e onde se devem usar.

Fonte: http://engenhariacivilnanet.blogspot.com/

mais livros gratuitos sobre engenharia

Posted in CAD, Climatização, Conservação e Reabilitação, Construção, e-books, Energia, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Geotecnia, Hidráulica, I & D, Links, Materiais de construção, Planeamento e Ordenamento, Transportes, Tráfego, Vias de Comunicação on Outubro 10, 2007 by Nelson Costa

Dado o sucesso do post que coloquei há uns tempos com um link para downloads gratuitos de engenharia civil, decidi procurar mais páginas do género e aqui vos deixo os links que encontrei:

Artikel

2020 ok

MarkTurner

pmxd

blogdigger

The Online Library of Civil & Environmental Engineering » (obrig. registo)

All4everyone (general books ; software books ; geothecnical books ; project planning books)

Vantagens das Argamassas fabris

Posted in Conservação e Reabilitação, Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Equipamentos, Materiais de construção on Outubro 10, 2007 by Nelson Costa

A construção de edifícios nas cidades implica a disponibilidade de áreas significativas para a instalação de estaleiros de obra, que frequentemente constituem um estorvo, perturbando a circulação de pessoas e viaturas. No caso da reabilitação de edifícios, a situação complica-se, porque o espaço para estaleiro é normalmente mais reduzido e com acessibilidades condicionadas.

A Associação Portuguesa dos Fabricantes de Argamassas de Construção (APFAC) faz notar que as argamassas fabris, em substituição das preparadas em obra, «contribuem expressivamente para a organização do estaleiro, reduzindo a área de ocupação do espaço público, evidenciando ainda outras vantagens que se reflectem na qualidade da construção e no ambiente».

A APFAC dinamizará durante a CONCRETA 2007 um seminário, com a pretensão de proporcionar aos técnicos de construção das autarquias da Área Metropolitana do Porto (AMP) e da região Norte uma visão actual das vantagens do uso de argamassas fabris. A iniciativa está prevista para 26 de Outubro, das 14,30 às 17,30 horas, no Centro de Congressos da EXPONOR.

 

Mais: Apresentação sobre “Argamassas fabris”

Fonte (texto parcialmente retirado de notícia em): www.concreta.exponor.pt

Blocos de lixo como material de construção

Posted in Ambiente, Construção, Curiosidades, Engenharia, Engenharia Civil, Materiais de construção, Noticias on Setembro 12, 2007 by Nelson Costa

Todos os anos toneladas e toneladas de lixo são produzidas em todo o mundo a um ritmo descontrolado e todos os anos abrem-se aterros para o depositar. Evidentemente não é a solução ideal, pelo menos não é a solução definitiva; é o mesmo que varrer o lixo para debaixo do tapete. A construção civil é responsável por parte desse lixo, através das enormes quantidades de resíduos excedentes das obras.

John Forth, engenheiro da Universidade de Leeds,Inglaterra, criou um projecto alternativo considerando a eficiência e a inovação, com vista a contribuir para o aproveitamento do lixo como material de construção. Trata-se de um projecto que revaloriza o lixo como material de construção, iniciando assim um novo ciclo de aproveitamento económico deste material desperdiçado e desvalorizado. Bitublocks é a concretização da sua ideia inicial. Uma tecnologia revolucionária no sector dos materiais de construção; blocos de construção 100% constituídos por desperdícios que vão dos vidros ás cinzas incineradas.

Comentários:

“Bitublocks use up to 100 percent waste materials and avoid sending them to landfill, which is quite unheard of in the building industry,” Forth said. Forth hopes his new invention will revolutionize the building industry by providing a sustainable, low-energy replacement for concrete blocks.

“Less energy is required to manufacture the Bitublock than a traditional concrete block, and it’s about six times as strong, so it’s quite a high-performance product,”

 

À semelhança do Bitublocks está também a ser estudado outro novo material de construção, à base de óleo vegetal usado, o Vegeblocks.

vegeblocks.gif

Saber mais:

http://reporter.leeds.ac.uk/524/s3.htm 

http://blog.sellsiusrealestate.com/bitublocks-and-vegeblocks/building-houses-from-trash-bitublocks-and-vegeblocks/2007/05/01/

Fonte:

http://institutofuturista.blogspot.com/2007/04/blocos-de-lixo-como-material-de.html