Archive for the Tecnologia Category

Construção do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia

Posted in Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Grandes Obras, Noticias, Tecnologia on Julho 18, 2008 by Nelson Costa

O INL, Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, é uma iniciativa conjunta de Portugal e Espanha. É a primeira organização científica internacional da Península Ibérica e também é a primeira, e até agora a única, organização científica mundial na área da nanotecnologia com estatuto jurídico internacional.

 

A nanotecnologia pode ser vista como sendo a engenharia à escala atómica e molecular. Por esta razão, pode influenciar praticamente todos os sectores tecnológicos e tem o potencial de conduzir a importantes inovações em áreas de grande relevância para a sociedade, como em aplicações médicas de diagnóstico e de aplicação de fármacos, em tecnologias da informação com muito mais elevadas capacidades de processamento e armazenamento de dados, em novas formas de produção e armazenamento de energia, na qualidade e segurança alimentar.

Após o concurso público internacional para a primeira grande empreitada de construção do INL, Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, e da aprovação pelo Conselho do Laboratório da proposta de adjudicação apresentada pelo Director-Geral, a construção foi adjudicada ao consórcio constituído pelas empresas Mota-Engil e Casais.

Neste momento foram já iniciados os trabalhos da instalação do estaleiro para as obras de construção no terreno que, entretanto, foi limpo e nivelado, incluindo a remoção das construções anteriores e o tratamento dos correspondentes resíduos. Esta empreitada envolve movimento de terras, fundações, estrutura e redes enterradas, cobertura, fachadas e caixilharia exteriores. Está previsto que termine em Março de 2009 e que no início de 2009 comece uma outra empreitada, a ser posta oportunamente a concurso público internacional, para construção das redes de especialidade, construção da «Sala Limpa», acabamentos, finalização do edifício e arranjos exteriores, a qual está planeada para terminar em Julho de 2009.

O edifício a construir terá uma área bruta de construção de aproximadamente 20 000 m2, implantada num terreno de 45 000 m2 ao longo da Av. João Paulo II, em Braga. Terá dois pisos e, além das instalações habituais de um laboratório científico onde irão trabalhar 400 pessoas, das quais cerca de 200 investigadores doutorados, incluirá instalações especiais características de laboratórios de nanotecnologia.

Dado que a nanotecnologia lida com objectos da dimensão de nanómetros, ou seja da ordem de 100 mil vezes mais pequenos do que a espessura de um cabelo humano, uma parte importante das instalações laboratoriais é a chamada «Sala Limpa» onde é assegurado um ambiente suficientemente limpo de pequenas partículas para que seja possível o trabalho de nanotecnologia. A «Sala Limpa» ficará situada numa área de 1000 m2 e envolverá uma sala de 600 m2 de «classe 100».

As instalações terão, adicionalmente, três laboratórios centrais com características especiais anti-vibração, designadamente para caracterização de materiais, análise de superfícies e, também, ensaios de biologia e bioquímica dado que as áreas de actividade do INL incluirão a nanomedicina e aplicações da nanotecnologia para a qualidade alimentar.

Fonte: MCTES

Anúncios

Solar Tiles – Revestimentos cerâmicos fotovoltaicos

Posted in Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Noticias, Tecnologia on Julho 11, 2008 by Nelson Costa

O Projecto Solar Tiles é um projecto inovador de I&D a nível mundial a ser desenvolvido por um consórcio de 9 entidades nacionais, e que concorre ao QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), apresentado anteontem, dia 9 de Julho nas instalações da Revigrés (Águeda) e consiste no desenvolvimento de Sistemas Solares Fotovoltaicos em Coberturas e Revestimentos Cerâmicos.

A Universidade do Minho é uma das entidades promotoras deste projecto. A investigação envolvida na UM na área de  nanomateriais, revestimentos funcionais e nanotecnologias aplicadas a sistemas eficientes de energia permitirá desenvolver camadas cerâmicas funcionais para aplicações de energia solar fotovoltaica envolvendo integração arquitectónica e eco-design.

O Projecto Solar Tiles  tem a mesma finalidade dos painéis solares tradicionais,  aproveitando a energia solar para produção de electricidade. As diferenças surgem na aplicação dos sistemas fotovoltaicos pois estes funcionarão através de um filme que é depositado nos revestimentos cerâmicos, o que tem como base uma tecnologia extremamente sofisticada.

Pretende-se assim o desenvolvimento de protótipos funcionais de produtos cerâmicos fotovoltaicos integrados, de elevada eficiência, para o revestimento de edifícios (telhas e revestimentos exteriores de fachada) que incorporem filmes finos fotovoltaicos, assentando numa elevada qualidade estética e desempenho técnico adequado.

Fonte: http://www.dicas.sas.uminho.pt/ModuleLeft.aspx?mdl=~/Modules/EventosJornal/EventosView.ascx&ItemID=2022&Mid=23&lang=pt-PT&pageid=3&tabid=0

Tutorial Vídeo CypeCAD

Posted in Construção, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Links, Software, Tecnologia on Julho 10, 2008 by Nelson Costa

Encontrei este tutorial de vídeo para o CypeCAD em brasileiro:

http://cypecad.multiplus.com/Passo_a_passo/DEMONSTRACAO.htm

Dynamic Architecture: edifícios em 4 dimensões

Posted in Arquitectura, Construção, Curiosidades, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Grandes Obras, Tecnologia on Abril 24, 2008 by Nelson Costa

Comprimento, largura e altura são dimensões necessárias à caracterização de qualquer edifício. Agora o tempo é também uma coordenada a considerar, pois com este conceito que irá ser aplicado no Dubai (onde mais!) os edifícios passarão a mover-se em torno do eixo vertical, alterando a forma como vê a paisagem no seu interior e também a forma como os transeuntes vêem o edifício pelo exterior.

Este conceito já tinha sido aqui apresentado, mas deixo-vos agora um vídeo que explica melhor o conceito.

Veja também:

https://detrolhaaengenheiro.wordpress.com/2007/09/14/futurista-edificio-com-pisos-rotativos/

Folhas de cálculo gratuitas para a Engenharia de Estruturas

Posted in Engenharia, Engenharia Civil, Software, Tecnologia on Março 5, 2008 by Nelson Costa

Apresento uma página onde se encontram várias folhas de cálculo vocacionadas para o projecto estrutural. São gratuitas, logo a sua utilização é livre e sem restrições. O único senão é serem em inglês.

Cliquem aqui para se dirigirem à página.

Nota: na barra lateral da página têm ainda programas gratuitos!

Prémio inovação Jovem Engenheiro 2006

Posted in Engenharia, Engenharia Civil, Eventos, Noticias, Tecnologia on Novembro 16, 2007 by Nelson Costa

Na 15ª edição do Prémio Inovação Jovem Engenheiro 2006, a Região Sul da Ordem dos Engenheiros distinguiu os engenheiros que apresentaram as propostas de maior interesse ao nível da engenharia. 

3.º lugar: 

O terceiro prémio foi entregue a Juan Tomé Caíres da Mata, autor do projecto “A Inteligência Artificial na Segurança de Barragens“. O sistema permite recolher dados sobre o funcionamento das barragens em tempo real que são comparados a outros modelos com valores estimados pelos engenheiros e tidos como valores normais de referência. Caso os valores obtidos não se enquadrem dentro dos valores esperados é accionado um aviso que permitirá aos engenheiros responsáveis pela barragem agir em conformidade com o problema detectado.

2.º lugar:  

O segundo lugar do Prémio Inovação Jovem Engenheiro 2006 foi entregue a Márcio Manuel Ferreira da Cunha, pela criação de um sistema protótipo para fachadas ventiladas. Trata-se de uma solução isenta de perfurações para aperto de parafusos e rebites, permitindo uma maior precisão para afinações, da autoria do jovem engenheiro Márcio Manuel Cunha, de 27 anos, licenciado em engenharia civil pela Universidade do Minho. A solução criada por este engenheiro para a execução de fachadas ventiladas, foi já aplicada nos edifícios da empresa construtora de Braga “Construções M. Gomes Cunha”, onde o premiado trabalha.

“O sistema desenvolvido caracteriza-se por uma solução para a execução de fachadas ventiladas, com fixação contínua e não pontual, podendo adoptar vários tipos de materiais para o revestimento, com fixação visível ou oculta e que permite vencer afastamentos entre apoios até 2,10 metros para placas de revestimento com 1,20 metros de largura”, explica ao Construir o engenheiro. O sistema prima também pela completa isenção de perfurações para aperto de parafusos e rebites, o que permite uma maior precisão para afinações. “Muito versátil, de fácil montagem, manutenção e recuperação e a custos reduzidos quando comparado com outros sistemas concorrentes oriundos do estrangeiro”, garante Márcio Cunha. E, acrescenta que “é o único sistema que permite aplicar placas de grés porcelânico de 0,60×1,20 metros com fixação oculta e com apenas dois apoios por perfil, sem recurso a qualquer tipo de perfuração, colagem ou rebitagem”.

Os resultados da inovação revelaram-se satisfatórios e, por isso, o processo de registo de patente está a decorrer, “ficando assim reunidas as condições para a aplicação do sistema noutras obras e para a comercialização a nível nacional, caso alguma empresa se mostre interessada”, sublinha o jovem engenheiro. Ao nível da engenharia civil, Márcio Cunha destaca ainda todo o dimensionamento da estrutura de suporte pelos eurocódigos, a sua comprovação em laboratório e a análise de resultados e conclusões.

Para o vencedor o maior desafio deste trabalho foi conseguir provar que não estamos dependentes das soluções provenientes do estrangeiro, defendendo que, “a nossa engenharia portuguesa possui capacidades iguais ou superiores à engenharia de outros países”. No entanto, como projectista e dono de obra afirma que há falta de soluções nacionais disponíveis no mercado e salienta que a maioria das soluções oriundas do estrangeiro pecam pelo elevado preço de comercialização.

 

1.º lugar:  

A Região Sul da Ordem dos Engenheiros distinguiu com o primeiro prémio o projecto “Espumas de Poliuretano para absorção de petróleos, óleos e derivados“, dos colaboradores da Prio, participada do grupo Martifer, Cristina Sofia Borges Correia e Nuno Sobral Correia. O projecto vencedor consiste numa “espuma sólida” que Cristina Correia chama de “esponja” com grande capacidade de absorção de combustíveis, como o petróleo e óleos de origens diversas, e com uma acção repelente em relação à água. Uma das principais características do produto é que “é possível espremer a “esponja” e recuperar o combustível derramado. Se o combustível estiver contaminado, poderá ser usado para recuperação energética através da queima”, diz a investigadora.

Pré-esforço orgânico

Posted in Construção, Empresas, Engenharia, Engenharia Civil, Estruturas, Materiais de construção, Tecnologia on Outubro 17, 2007 by Nelson Costa

O projecto do Sistema de pré-esforço orgânico OPS (Organic Prestressing System) é mais um exemplo de como a cooperação científica e tecnológica entre universidades e empresas pode oferecer bons resultados.

O OPS é uma solução tecnológica que permite compensar as forças a que a estrutura metálica das pontes está sujeita, baseando-se no funcionamento do músculo humano, e foi desenvolvido por investigadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

De entre as principais vantagens destacam-se a redução de custos, o aumento de segurança e a redução de deformações.

Base científica:

O Sistema OPS tem por conceito base a introdução de um conjunto de acções auto-equilibradas na estrutura sobre a qual se está a trabalhar. Estas acções, criteriosamente escolhidas, irão contrariar, na medida do possível, aquelas a que a estrutura estará submetida.
Os responsáveis do projecto, uma equipa de engenheiros e investigadores, coordenada pelo professor Pedro Pacheco, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, referem que as acções auto-equilibradas não variam segundo o tipo e intensidade das solicitações a que a estrutura vai estando submetida, sucedendo-se apenas em função do traçado dos cabos e das forças de pré-esforço instaladas.
 

Tendo como base científica a Biomimética, uma área da ciência que tem por objectivo o estudo das estruturas biológicas e das suas funções, procurando aprender com a Natureza e utilizar esse conhecimento em diferentes domínios da ciência, o sistema OPS surgiu na sequência de um trabalho de investigação, iniciado pelo Professor Pedro Pacheco. Este projecto visava o estudo de aplicações de soluções de Bio-estruturas a estruturas de Engenharia Civil.
Centrado no estudo do músculo, o trabalho de investigação transportou os conceitos conhecidos da anatomia para as estruturas, surgindo o conceito de pré-esforço orgânico, em que, por exemplo, uma viga é dotada de um sistema de cabos que respondem a instruções de um autómato em função de deformações medidas por sensores, o que, permite a optimização do comportamento da viga e a diminuição considerável do seu peso.

A Tese de Doutoramento “Pré-esforço Orgânico – um exemplo de sistema efector” apresentada em 1998 pelo Professor Pedro Pacheco marcou o início de um reconhecido e inovador sistema de pré-esforço com comportamento inteligente, que conta já com diversos prémios:

2004 – FIVE – Fomento da Inovação e Valorização Empresarial (IAPMEI)
2001 – 2ª melhor Tese Internacional em Estruturas (FIB – Fédération International du Béton)
1998 – Nomeação Prémio Ferry Borges para Melhor artigo escrito em língua estrangeira

Funcionamento do sistema OPS:

O professor explica como funciona o músculo artificial. “É feito de autómato, de cabos, de um macaco hidráulico e de sensores. Funciona como o corpo humano. Os sensores sentem a deformação, como os nervos, informam o cérebro que é um autómato. O autómato dá instruções ao actuador, que é o músculo, estica os cabos, que são os tendões, e compensa a deformação”.

Vídeo de explicação simplificada do sistema pelo Professor Pedro Pacheco:

Projecto – piloto:

Um projecto piloto foi já desenvolvido para o teste do sistema OPS, aplicado à construção de uma ponte sobre o Rio Sousa (sub-lanço Lousada – IP4/A4), tendo sido um verdadeiro êxito. Um completo sucesso foi também a parceria entre a FEUP e a Mota-Engil que tem sido um dos trunfos deste projecto.

Vantagens: 

A esperança de Pedro Pacheco fundamenta-se nas vantagens do projecto piloto: “A estrutura é muito mais leve, mais segura, mais fácil de transportar e mais barata”. O responsável pelo projecto fala numa redução dos custos na ordem dos 20% e acrescenta que em estruturas maiores “o benefício cresce quase exponencialmente”. O sistema OPS (”Organic Prestressing System“) baseia-se na estrutura do sistema muscular humano.“Estamos a usar o sistema no processo construtivo. Existe uma estrutura que custa muito dinheiro. Através do OPS conseguimos optimizar essa estrutura usando um músculo artificial”, diz Pedro Pacheco. O OPS é único em Portugal e no mundo.

O Sistema OPS, que está patenteado a nível internacional, assegura assim a diminuição de custos de aquisição de equipamentos, nomeadamente de cimbres, tal como de custos operacionais, ao mesmo tempo que garante um melhor desempenho em termos funcionais, com a redução de flechas, e um aumento de segurança.

Desvantagens:

Pedro Pacheco afirma que as únicas desvantagens do sistema se prendem com “a resistência natural que as pessoas têm à inovação”.No entanto, o engenheiro acredita no sucesso do projecto e espera que “ajude a criar confiança” nas capacidades dos portugueses.

Referências:

BERD – Rationality in Bridge Engineering 

http://cedb.asce.org/cgi/WWWdisplay.cgi?0201133 

Fontes:

http://www.aecops.pt/

http://www.ordemengenheiros.pt/

http://smartengineering.blogspot.com/

http://engenhariacivil.wordpress.com/